Bem Vindo(a)!

CHANTAL AKERMAN: TEMPO EXPANDIDO

Chantal Akerman, Claire Atherton, Élisabeth Lebovici e Ivone Margulies

Disponível: Em estoque

Preço: R$70,00

Preço Promocional R$42,00

Descrição Rápida

Chantal Akerman: Tempo Expandido registra a experimentação e a atualidade da cineasta belga falecida em 2015, um dos mais importantes representantes da arte contemporânea.

CHANTAL AKERMAN: TEMPO EXPANDIDO

Duplo clique para aumentar imagem

Reduzir
Aumentar

Mais Imagens

Detalhes

Detalhes De novembro de 2018 a janeiro de 2019, o Rio de Janeiro recebeu pela primeira vez as videoinstalações de Chantal Akerman. Organizada por Evangelina Seiler e apresentada pelo Oi Futuro, a mostra Chantal Akerman – Tempo expandido reuniu parte fundamental do universo artístico da cineasta belga, já conhecido do público da 29ª Bienal de São Paulo, da Bienal de Veneza e da documenta de Kassel, na Alemanha. O universo revelado na mostra carioca é matéria-prima do livro homônimo, coeditado pela BEĨ e parte da Coleção Arte e Tecnologia do Oi Futuro. O volume reúne imagens das instalações presentes na mostra (“Anoitecer em Xangai”, “O quarto”, “Verão maníaco” e “No espelho”) e textos que oferecem ao leitor uma visão ampla do trabalho, do pensamento e da importância de Akerman no panorama geral da cultura contemporânea. Ele traz, assim, uma entrevista à crítica de arte Élisabeth Lebovici e a transcrição de uma conversa entre a pesquisadora Ivone Margulies e a produtora Claire Atherton, que colaborou com a artista por mais de trinta anos e que assina também um texto em sua homenagem. Extratos do livro Minha mãe ri, de Akerman, e uma introdução de Evangelina Seiler completam a obra. Mais que o catálogo de uma exposição, Chantal Akerman – Tempo expandido é uma introdução e um aprofundamento na vida e na obra de um dos nomes mais instigantes da cultura e do cinema contemporâneos.

SOBRE CHANTAL AKERMAN Cineasta, atriz, roteirista, produtora e professora de cinema, Chantal Akerman (1950-2015) voltou-se para o cotidiano urbano no século XX, retratado em seus primeiros filmes até em suas obras mais experimentais, como as que integraram a exposição no Rio de Janeiro. “Tudo o que você tem é o tempo. Nos meus filmes, você está ciente de cada segundo que passa”, afirmou a artista, oferecendo ao espectador uma pista sobre a matéria-primeira de seu trabalho. Filha de uma sobrevivente de Auschwitz, Akerman fundamentou grande parte de seu trabalho na experiência de sua mãe, retratada em diversos filmes e instalações. Dessa forma, embora filmes como Saute ma ville (1968), Je, tu, il, elle (1974) e Jeanne Dielman, 23 Quai du Commerce, 1080 Bruxelles (1975) sejam comumente associados ao cinema feminista, a obra da cineasta não se esgota na militância e se expande para reflexões mais amplas sobre o corpo e a violência, a passagem do tempo, a vida e a morte.

Informação Adicional

Autor Chantal Akerman, Claire Atherton, Élisabeth Lebovici e Ivone Margulies
Número de Páginas 120p
Formato 19,5 x 25,5 cm
Idioma Português | Inglês
Ano de Publicação 2019
ISBN 978-85-7850-154-9

Compartilhe este produto