Bem Vindo(a)!

Dona Brazi

Numa vida de ambições modestas, a amazonense dona Brazi sonhou ter seu livro de receitas.
Este projeto pretende mais que dar à cozinheira de São Gabriel da Cachoeira (AM), na região do Alto Rio Negro conhecida como Cabeça do Cachorro, o que ela almeja. Apesar de trazer, sim, as receitas, objetiva mostrar ao resto do Brasil aspectos da cultura gastronômica mais profunda do país, ainda em sua maior parte desconhecida nos grandes centros.

Sua mesa é a mais localmente autêntica possível: sua iguaria favorita são as formigas saúvas, “ardosas”, que integram uma variedade de pratos originados na tradição local, mas modificados pelo toque pessoal da cozinheira.

Na figura de Josefa Antônia Gonçalves de Andrade – que era para ser Brasilene, levando o país no nome, e acabou sendo Brazi, com z, quase num distintivo da futura fama internacional que alcançaria entre chefs de além-mar – concentram-se tanto o típico quanto o próprio. Em sua cozinha, refletem-se suas origens: nascida na comunidade indígena de Samaúma, no rio Negro, baré por parte de pai, tucano por parte de mãe, com um avô venezuelano, de cuja família herdou também receitas e preparos “de branco”. Fusion food de raiz, poderia-se dizer.

A edição contará com um perfil especialmente produzido por Maria da Paz Trefaut, jornalista
do diário Valor Econômico, além de um texto assinado por Alex Atala. O ensaio fotográfico ficará a cargo do fotojornalista Rogério Assis.

*Projeto aprovado pela lei Rouanet de incentivo fiscal