Bem Vindo(a)!

Dona Brazi: Cozinha tradicional amazônica

Maria da Paz Trefaut

Disponível: Em estoque

R$70,00

Descrição Rápida

Parceiras de fogão, Mara Salles e dona Brazi já pescaram formiga e prepararam uma paca, juntas, lá em São Gabriel da Cachoeira, terra de dona Brazi.

Dona Brazi: Cozinha tradicional amazônica

Duplo clique para aumentar imagem

Reduzir
Aumentar

Mais Imagens

Detalhes

Parceiras de fogão, Mara Salles e dona Brazi já pescaram formiga e prepararam uma paca, juntas, lá em São Gabriel da Cachoeira, terra de dona Brazi. Confira o depoimento de Mara, do restaurante Tordesilhas, sobre a cozinheira amazonense.

 

Em São Gabriel de Cachoeira, cidade de 18 mil habitantes no alto Rio Negro, fica a cozinha, o cultivo de ingredientes e todo o universo cultural de dona Brazi. Senhora de origem baré, a cozinheira amazonense encantou chefs renomados – de Alex Atala ao francês Pascal Barbot – com seus quitutes, sabores e ingredientes próprios.

Reunidas pela primeira vez em livro, as receitas de Dona Brazi: Cozinha tradicional amazônica (Editora BEI) são uma incursão pelos temperos e texturas tão particulares da região. Textos da jornalista Maria da Paz Trefaut, fotos de Rogério Assis e um prefácio de Alex Atala completam uma aproximação afetiva do universo tradicional da cozinheira, numa mescla saborosa entre jornalismo, gastronomia e antropologia da alimentação.

Do peixe no tucupi à farofa de caruru, passando por caldeiradas, guisados e patacones, seus pratos são uma amostra da mistura de cultura e etnias. A herança indígena aparece nos peixes e farofas carregados tantas vezes com murupi e pimenta verde.

“Comida simples, rústica, com traços primários fortes. Dona Brazi me deslumbrou com sua mujeca, sua quinhampira, seus doces e seu suquinho [...] mais do que simples cozinheira, é uma defensora da cultura, a mantenedora de uma sabedoria difundida por gerações”, escreve Alex Atala em seu texto de abertura para o livro. Em edição bilíngue, a publicação é uma maneira de divulgar a cultura brasileira além-mar, levando a mistura de etnias brancas e indígenas que marcam a região norte.

Tal e qual Atala, o chef francês Pascal Barbot foi um dos que se viram contagiados por uma iguaria singular da cozinheira amazônica: formigas saúvas. Uma vez encontradas na mata fechada, elas são lavadas e temperadas com cebola, cebolinha, pimentão, pimenta-de-cheiro, sal, tucupi, um pouco de água e coentro. Depois são usadas em salada, assadas no forno, socadas no pilão ou passadas no liquidificador para serem transformadas em pó. Barbot gostou tanto que as serviu em seu restaurante L’Astrance, em Paris – casa três estrelas no guia Michelin -, com enorme sucesso.

Outra admiradora de Dona Brazi há tempos, a premiada chef Mara Salles, do Tordesillas, abre seu restaurante para o lançamento da publicação, seguido por um jantar preparado a quatro mãos pelas duas cozinheiras. Todo brasileiro tem um pé na cozinha – ainda bem. Em edição bilíngue, Dona Brazi revela um pouco mais dos sabores escondidos por nosso território.

Confira a galeria de fotos do Lançamento do livro Dona Brazi: Cozinha tradicional amazônica

 

Patrocínio: Oi e Oi Futuro
Apoio: ISA – Instituto Socioambiental

Informação Adicional

Autor Maria da Paz Trefaut
Número de Páginas 256p
Formato 17 cm x 22,6 cm
Idioma Português e Inglês
Ano de Publicação 2013
ISBN 978-85-7850-083-2

Compartilhe este produto